Sobre porcos e água

Porco = água


Os porcos de um lugar consomem
a água extraída em outro. Em torno da fonte
as bicas secam e aos montes as pessoas
se estapeiam pelo gole
do reuso
do resto
do fundo morto do poço

Para a ração tipo exportação
a soja toma o lugar do camponês. Expulso
para a cidade, ele se soma aos de lá
que não sabem plantar e também
não vêm que água de regar soja transgênica é
potável
cristalina
direto da fonte

Assim, o porco do jantar de uma língua estranha
é água pura da seca muito bem conhecida e
o solo rachado onde muitos vivem não
questiona a terra fofa em que não nasce formiga

Autor: Paulo Fávari

Paulo Fávari é mestrando em Artes Cênicas pela Escola de Comunicações e Artes da USP com o tema O trabalho experimental de Chico de Assis nos anos 1960: direção, dramaturgia e pedagogia, sob orientação do professor Sérgio de Carvalho. É também pesquisador do Laboratório de Investigação em Teatro e Sociedade (LITS). Graduado em Jornalismo pela Escola de Comunicações e Artes da USP.

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s