Terráqueo


Ah, o desafortunado astronauta
que gosta tanto de sua Terra salta
ao saber que não terá de partir

Ele, que vive a ilusão de ter o mundo nos pés
fica se admirando ao invés
de perceber que o mundo quer fugir

Pois quando resolve dar pulo de supetão
descobre no ar que o mundo não
estará lá quando ele cair

Suspenso, no espaço vê seu mundo ir embora
terá de se acostumar agora
na imensidão escura, sem sorrir

Ele não tem vontade de ser um asceta
terá de se contentar com um cometa
fugaz qualquer que vier a surgir

Ah, o astrounauta está sozinho e implora
gritando pelo universo afora
que está fora si, sem onde ir

Autor: Paulo Fávari

Paulo Fávari é mestrando em Artes Cênicas pela Escola de Comunicações e Artes da USP com o tema O trabalho experimental de Chico de Assis nos anos 1960: direção, dramaturgia e pedagogia, sob orientação do professor Sérgio de Carvalho. É também pesquisador do Laboratório de Investigação em Teatro e Sociedade (LITS). Graduado em Jornalismo pela Escola de Comunicações e Artes da USP.

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s