Duelo das lentes encabuladas

Frame trocado não dói


Foto: Paulo Fávari

Ela empunhou a câmera no ombro direito e juntou o olho esquerdo no visor. A não mais que dez metros ele empunhou a outra câmera. Olho esquerdo no visor, mão direita no botão de disparo e esquerda no zoom. Enquanto ele ajusta o foco, ela desempunha sua câmera e o pega no flagra.

Ele tenta, em vão, disfarçar mas não consegue e solta um riso encabulado. Ela também sorri mas volta a empunhar a câmera, como que dizendo “Te peguei! Mas gostei de ser motivo para uma fotografia”. Ela volta a sua filmagem com um risinho de canto de boca, se deixa ser fotografada.

Mas o troco vem rápido. Enquanto ele verifica a fotografia tirada no visor, ela aproveita o momento para filmá-lo. Chumbo trocado não dói – nem frames.

Olham-se outra vez, agora para se certificarem de que são cúmplices e vítimas de suas lentes. Outra vez sorriem.

Foto: Paulo Fávari

Autor: Paulo Fávari

Paulo Fávari é mestrando em Artes Cênicas pela Escola de Comunicações e Artes da USP com o tema O trabalho experimental de Chico de Assis nos anos 1960: direção, dramaturgia e pedagogia, sob orientação do professor Sérgio de Carvalho. É também pesquisador do Laboratório de Investigação em Teatro e Sociedade (LITS). Graduado em Jornalismo pela Escola de Comunicações e Artes da USP.

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s