Às voltas do palhaço


é um pouco de destino
um pouco de vontade
ao palhaço não lhe restar
opção a não ser o desatino
ora por birra
ora por graça
escolhe a casca
de banana
à flor que solta água
— se quebra todo, palhaço!
— me quebro e você ri da minha desgraça
noite após noite lá vai ele
refazer toda a cena
tropeça o mesmo tropeço
cambaleia a mesma cambalhota
se pinta da mesma casca
de banana
não vê chegar o final de cada semana
pra torcer por outra temporada
é um pouco de destino
é verdade
mas não é por maldade
que o palhaço, desajeitado que só
opta sempre pelo mais custoso
tem culpa, o palhaço, se ele
gosta do mais engenhoso?
ah, tenha dó!
ah, deixa o palhaço!

Autor: Paulo Fávari

Paulo Fávari é mestrando em Artes Cênicas pela Escola de Comunicações e Artes da USP com o tema O trabalho experimental de Chico de Assis nos anos 1960: direção, dramaturgia e pedagogia, sob orientação do professor Sérgio de Carvalho. É também pesquisador do Laboratório de Investigação em Teatro e Sociedade (LITS). Graduado em Jornalismo pela Escola de Comunicações e Artes da USP.

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s